Logo da Etesco Construções
Menu

Tipos de Cimento na Construção Civil

Atualizado em 22/10/2021
Tempo de leitura: 3 min.

Existem diversos tipos de cimento para utilizar na construção civil. Alguns são mais indicados para certas obras dependendo das condições às quais elas serão expostas. A escolha do produto certo faz toda a diferença para a qualidade da entrega.

Você sabia que no mercado brasileiro existem 11 tipos de cimento destinados para a construção civil? Essas diferenças envolvem as características desses produtos e propriedades específicas que fazem com que sejam mais ou menos adequados a determinadas aplicações. 

Essas diferenças de característica acontecem por causa das adições feitas durante a moagem do cimento. Por isso, é importante entender que eles não são todos iguais e escolher o mais adequado de acordo com o tipo de construção que será feito, para que não haja problemas com a obra. 

Continue lendo para conhecer esses 11 tipos de cimento para quê você possa escolher o ideal para o seu projeto!

CP I 

A sigla CP significa Cimento Portland, nome dado em homenagem a Joseph Portland, que inventou o cimento moderno. O CP I é o mais básico que encontramos no mercado. Ele tem um tempo maior de aplicação porque a sua pega é retardada devido à adição de gesso. 

Tem uma resistência menor e um custo mais alto, sendo utilizado em construções de um modo geral, nas quais não é preciso que o cimento tenha alguma propriedade especial.

CP I-S 

Sua fórmula de base é igual à do CP I, apresentando as mesmas características dele e também as mesmas aplicações. No entanto, a diferença está em uma pequena adição de pozolânico, o que faz com que seja um cimento comum com uma menor permeabilidade.

CP II-E

Os cimentos do tipo CP II têm uma formulação composta porque são adicionados outros materiais. No caso do CP II-E, ele está entre o CP I e o CP I-S. Libera menos calor quando em contato com a água e contém escória de alto-forno granulada. É indicado para os projetos em que é necessário um despreendimento de calor mais lento.

CP II-F

Tem a mesma característica de liberar menos calor. Sua composição contém de 6 a 10% de material carbonático. É um cimento usado em aplicações gerais para compor concreto simples, protendido ou armado; também pisos, elementos pré-moldados, entre outros que não exijam aplicação em um meio muito agressivo.

CP II-Z

É um tipo de cimento que pode ser utilizado sem problema nas obras subterrâneas. Também é recomendado para as construções em locais que se mantêm em contato com a água. Isso porque sua composição recebe adição de pozolana, o que faz com que tenha uma menor permeabilidade.

CP III

É um tipo de cimento de alto-forno, mas que recebe uma adição maior de escória, podendo alcançar até 70% de teor em massa. É muito durável, tem uma alta impermeabilidade, resistência a sulfatos, à expansão e um baixo calor de hidratação. É ideal para estruturas mais agressivas e de grande porte, como para afluentes industriais, barragens, fundações de esgoto e máquinas.

CP IV

Também é um tipo de cimento que contém pozolânico em sua composição, mas cerca de 15 a 50%. Por causa desse alto teor, tem uma grande impermeabilidade e é muito durável, garantindo maior estabilidade em ambientes que podem sofrer ataques ácidos, em especial por sulfato. Tem uma indicação para obras que ficam expostas à água corrente pelo fato de ser pouco poroso.

CP V

Esse cimento não contém adições, mas sua formulação é diferente por causa da dosagem e do processo de fabricação do clínquer. Ele é utilizado em quantidades diferentes de argila e de calcário, tendo uma moagem mais fina. Por isso, tem uma alta resistência inicial, maior do que a dos cimentos convencionais. É muito utilizado na fabricação de concreto.

CPB

Esse cimento também tem diferença em relação aos demais por sua tonalidade branca. Isso acontece porque são utilizadas matérias-primas com teor menor de ferro no lugar e manganês, sendo utilizado o caulim em vez da argila. É indicado tanto para estruturas como, por exemplo, em rejuntes de cerâmica.

Categorias extras

BC

Essa é uma categoria extra dos cimentos que citamos. É conferida ao produto quando ele tem um baixo calor de hidratação, retardando o seu desprendimento de calor em grandes peças. Isso evita a formação de fissuras em decorrência de variações térmicas.

RS

Os cimentos também podem receber a classificação por sua resistência a sulfatos, entrando nessa categoria extra. Esse tipo de cimento é muito utilizado em projetos de ambientes industriais, redes de esgotos e naqueles que mantêm contato com o mar. 

Como você pode perceber, cada cimento é mais recomendado para um tipo de construção e, por isso, você pode não alcançar os resultados que deseja se não tomar a decisão correta na hora de escolher o produto. A aquisição ideal é o que garante a boa execução da obra e a sua durabilidade conforme as condições às quais será exposta.

 TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você sabe quais são as vantagens de utilizar pré-moldados no canteiro de obras? Entenda como esse tipo de estrutura contribui com o trabalho na construção civil.
Ler Mais
As obras de infraestrutura auxiliam o desenvolvimento do país. Confira quais os principais desafios de obras de infraestrutura!
Ler Mais
1 2 3 44

© ETESCO, 2021. Todos os direitos reservados. | Desenvolvido por Surya Marketing Digital.

linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram